Fique Ligado

Produtos de Limpeza

A Tabela Periódica

Material de Laboratório

Dicas Web

As Questões Ambientais

Os Raios Catódicos

O Lixo

Conceito de Densidade

Noticias on-line

A Preparação do Sabão

A Química na cozinha

Links

 <<<Voltar

 

 

    Material de Laboratório
 

  O Equipamento 

 

 A Química é uma ciência experimental, muito interessante e fascinante, relativamente nova (século XVIII). Ela estuda os materiais naturais e sintéticos, suas transformações químicas e as variações de energia nela envolvidas. No entanto para sua compreensão é necessário o conhecimento e manejo de alguns materiais e instrumentos que são usados com mais freqüência nas aulas experimentais.

 

 

Tubo de ensaio
É usado para efetuar reações com pequenas quantidades de reagentes. Pode ser aquecido diretamente na chama do bico de Bunsen, com cuidado.
 Copo de Béquer
Recipiente usado em reações, dissolução de substâncias, aquecimentos de líquidos, etc. Para levá-lo ao fogo, use tripé com a proteção da tela de amianto.
 Erlenmeyer  
Empregado na dissolução de substâncias, nas reações químicas, no aquecimento de líquidos e nas titulações. Sua capacidade é variável.
 Cristalizador  
São de vidro, possuem grande superfície que faz com que o solvente evapore com maior rapidez. São empregados na cristalização em geral.
 Pipetas  
As pipetas são utilizadas para transferências precisas de volumes de líquidos. Existem dois tipos de pipetas: 1) As pipetas graduadas (mais finas) permitem medir volumes variáveis de líquidos.       2) As pipetas volumétricas( com bulbos), não são graduadas e só permitem medir um volume único de líquido.
 Proveta  
É empregada nas medições aproximadas de volumes de líquidos. Há provetas cuja capacidade varia de 5 mL a 2.000 mL. Nunca deve ser aquecida.
 Bureta  
Consiste de um tubo cilíndrico graduado e apresenta na parte inferior uma torneira de vidro controladora da vazão. É empregada especificamente nas titulações.
 Kitassato  
É utilizado para efetuar filtrações a vácuo.
 Balão volumétrico  
Possui um traço de aferição no gargalo que é longo e é usado no preparo de soluções que precisam ter concentrações definidas. Existem balões cuja capacidade varia de 50 mL a 2.000 mL.
 Balão com saída lateral  
É mais utilizado para efetuar destilações simples. A saída lateral por onde passa o vapor destilado, é ligada ao condensador. Na parte superior coloca-se uma rolha furada, com termômetro.
 Balão de fundo chato  
Balão de vidro de volume variável, utilizado em aquecimentos, refluxos, destilação e para a conservação de materiais.
 Balão de fundo redondo  
É mais usado para o aquecimento de líquidos e reações com desprendimento de gases.
 Funil de vidro  
Usado em transferências de líquidos e em filtrações de laboratório, isto é na separação das fases de misturas heterogêneas.
 Vidro de relógio  
Permite a pesagem de reagentes ou é utilizado para cristalizar substâncias. Também, pode ser usado para cobrir o copo de Béquer em evaporações.
 Tubos em U  
Tubo recurvado em forma de U, quando preenchido com uma solução especial funciona como ponte salina permitindo a passagem de íons na montagem de uma pilha de Daniell.
 Frascos para reativos  
Permitem guardar as soluções para armazenamento.Nos frascos de cor âmbar são colocadas as substâncias que se decompõem em presença da luz. Nos frascos brancos são colocadas as soluções que não se decompõem em presença da luz.
 Condensador  

É empregado nos processos de destilação. Sua finalidade é condensar os vapores do líquido. É refrigerado a água.

 Funil de separação ou decantação
Recipiente de vidro em forma de pêra, que possui uma torneira. É Utilizado para separar líquidos imiscíveis. Deixa-se decantar a mistura; a seguir abre-se a torneira deixando escoar a fase mais densa.
 Almorafiz de porcelana com pistilo
São utilizados para triturar e pulverizar sólidos.
 Funil de büchner  
São recipientes de porcelana de diferentes diâmetros, na sua parte interna se coloca um disco de papel de filtro. Assim, é utilizado para realizar filtrações a vácuo. 
 Cápsula de porcelana  
Usada em evaporações, dissoluções a quente, calcinação, secagem e aquecimentos.
 Cadinho de porcelana  
Usado para o aquecimento a seco (calcinação), na eliminação de substâncias orgânicas, secagem e fusões, no bico de Bunsen ou mufla.
 Desecador  
É usado para guardar substâncias em ambiente com pouco teor de umidade.
 Bastão de vidro  
  O bastão de vidro é utilizado para agitar substâncias facilitando a homogeneização.  Auxilia também na transferência de um líquido de um recipiente para outro.
 Suporte Universal  
É um suporte de ferro que permite sustentar vários outros utensílio como argolas, garras, etc. 
 Mufa  
É um adaptador do suporte universal e de outros utensílios.
 Garra metálica  
Estas garras permitem sustentar outros objetos nos suportes.
 Pinça metálica ou Tenaz  
Pinças metálicas são usadas para segurar, cadinhos, cápsulas, etc., quando  aquecidos.
 Pinça de Mohr  
Esta pinça é muito utilizada para obstruir a passagem de um líquido ou gás que passa através de tubos flexíveis.
 Anel  metálico ou argola  
É um anel metálico que se adapta ao suporte universal. Serve como suporte para a tela de amianto, funil de separação, funil simples, etc.
 Triângulo de porcelana  
Usado para sustentar cadinhos de porcelana em aquecimentos diretamente no bico de Bunsen durante uma calcinação. Fica sobre a argola ou tripé
 Tripé de ferro  
Usado para sustentar a tela de amianto ou o triângulo de porcelana.
 Tela de amianto  
Usado para sustentar frascos de vidro que vão ao aquecimento, pois distribuí uniformemente o calor proveniente das chamas do bico de Bunsen, evitando assim,que se quebrem
 Colher de deflagração  
Se utiliza para realizar pequenas combustões de substâncias ou observar o tipo de chama, reação, etc.
 Bico de Bunsen  
É a fonte de aquecimento mais empregada em laboratório. Apresenta uma base, um tubo cilíndrico, um anel móvel e uma válvula. Para se fazer um bom aquecimento deve-se regular a entrada de ar através do anel móvel. A chama do bico deve ser a azul (oxidante) pois  não deixa resíduos nos materiais.
 Frasco lavador ou pisseta
É empregada na lavagem de recipientes por meio de jatos de água ou de outros solventes. O mais utilizado é o de plástico pois é prático e seguro.
 Estante  para tubos de ensaio
Suporte de madeira ou metal, de vários tamanhos.É utilizada como suporte para tubos de ensaio.
 Espátula  
Permite retirar substâncias sólidas de frascos. É confeccionada em osso, porcelana ou metal.
 Banho Maria  
É um dispositivo que permite aquecer substâncias de forma indireta(banho-maria), ou seja, que não podem ser expostas a fogo direto.
 Furador de rolhas
É um utensílio que permite produzir orifícios de diferentes diâmetros em  rolhas de cortiça ou de borracha.
 Trompa d água  
Equipamento que, ligado a uma torneira, faz sucção nas filtrações a vácuo.

 

 Pinça ou Garra de madeira
  Usada para segurar tubos de ensaio durante o aquecimento direto no bico de Bunsen. evitando queimaduras nos dedos.
 Escova para tubo de ensaio  
Permite lavar tubos de ensaio.
 Mufla  
É um tipo de estufa que permite calcinar materiais.
 Balança comum  
É um instrumento que permite aferir massas de substâncias, sua sensibilidade pode chegar até 0,1 grama.
 Balança analítica  
É um instrumento que tem uma grande sensibilidade de pesagem algumas chegam a 0,0001 grama.
 Termômetro  
É um instrumento que permite observar a temperatura que vão alcançando algumas substâncias que estão sendo aquecidas.
 Centrífuga  
É um aparelho que acelera o processo de decantação. Devido ao movimento de rotação, as partículas de maior densidade, por inércia, são arremessadas para o fundo do tubo.
 Papel de filtro  
  Papel poroso, que retém as partículas sólidas, deixando passar apenas a fase líquida.
 Capela  
Local fechado, dotado de um exaustor onde se realizam as reações que liberam gases tóxicos num laboratório.
 Estufa  
Aparelho elétrico utilizado para dessecação ou secagem de substâncias sólidas, evaporações lentas de líquidos, etc.